Jornalismo com criatividade, qualidade e simplicidade.

Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

Associação de turismo de experiência com turismo acessível. Esta é a proposta da Floripa Free Tur, dentro do projeto “Turismo de Experiencia: Santa Catarina em Todos os Sentidos”. E oferece emoções diferenciadas para aquelas pessoas ditas “normais”.

 

Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

A marca do projeto “Turismo de Experiência: Santa Catarina em Todos os Sentidos” resume em seu design as diversas opções à disposição dos turistas

 

Fazer turismo de experiência é se permitir fugir ao lugar comum. Aproveitar uma viagem, um passeio, para realizar algo realmente novo, aquilo nunca antes vivenciado. Alguns exemplos: participar de oficina de modelagem em barro; alimentar e limpar tartarugas vivendo em cativeiro numa base do Projeto Tamar; descer por corredeiras e, ao mesmo tempo, bombardear as margens do rio com sementes de árvores nativas.

Mais: participar de uma roda de capoeira e degustar culinária criadas pelos escravos; ser batizado como mergulhador profissional; manipular os ingredientes para elaborar uma simples caipirinha, o drinque mais popular do Brasil; passear por entre os atrativos de uma típica feira de cidade de interior e aproveitar para conhecer o patrimônio histórico ali existente… Enfim, deixar de ser o expectador passivo e tornar-se um visitante ativo.

Todas essas sete atividades antes resumidas, e mais oito outras, integram o belo projeto “Turismo de Experiência: Santa Catarina em Todos os Sentidos”, à disposição daqueles que viajam para o Município de Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina, ou para cidades ali próximas, como Biguaçu, Palhoça, São José, São Pedro de Alcântara, Santo Amaro da Imperatriz e Saudades, ou mesmo aquelas um pouco mais distantes.

Agora, a mais inusitada delas, batizada com a denominação de “História para todos”, rompe de uma vez por todas com qualquer possível mesmice encontrável naquelas citadas antes. Afinal, ela oferece a oportunidade para se integrar a passeios voltados ao atendimento de pessoas com necessidades especias. Que tal acompanhar um grupo de mudos e surdos conhecendo um museu? Ou um de cegos indo a um jardim botânico?

Foi com esta intenção que a agência de turismo receptivo Floripa Free Tour passou a oferecer este tipo de programação àqueles ditos “normais”, possibilitando a estes viver emoções singulares: assistir a descrição de objetos históricos com a linguagem de sinais; ajudar alguém a perceber com o tato o caule de um árvore; contribuir para a mobilidade daqueles com limitações físicas; manter-se dentro do ritmo ditado pelos mais idosos…

Tornar o turismo um prazer disponível a todos é um ponto fundamental dos processos de ampliação dos direitos de cidadania e de inclusão social. Ao mesmo tempo, cobrar dos responsáveis a adoção de todas as possíveis soluções de acessibilidade: construção de rampas, instalação de placas de identificação de fácil legibilidade e com informações em Braille; adaptação de espaços para o trânsito de cadeiras de rodas; e muito mais.

 

A seguir, algumas das premissas orientadoras dos programas de turismo acessível a todos:

 

  • Consolidar o direito da pessoa com necessidades especiais à atividade turística;
  • Proporcionar a todos acesso aos patrimônios cultural, histórico, natural e social;
  • Fomentar melhorias de acessibilidade em todos os ambientes privados e públicos;
  • Cobrar adoções contínuas de soluções voltadas para a mobilidade urbana;
  • Adaptar brinquedos, espaços, infraestrutura, programas, veículos e tudo mais; e,
  • Ampliar a quantidade de guias de turismo capazes de se comunicar em Libras.

 

Alguns atrativos turísticos da cidade de Florianópolis que podem ser palco de turismo acessível:

 

Antiga Câmara Municipal
Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

A antiga Câmara e Cadeia foi construída entre 1771 e 1780, com recursos oriundos do pagamento de impostos curiosos chamados de “subsídio literário“, cobrados sobre cada pipa de cachaça. A cadeia ficava no térreo, conforme determinava a tradição portuguesa, e, no pavimento superior, funcionavam a Assembleia Legislativa Provincial e o Paço da Câmara e do Senado. O sobradão luso-brasileiro foi mudando com várias reformas, até incorporar, em 1896, decoração eclética com alguns signos barrocos. A cadeia só foi desativada em 1930, com a inauguração da Penitenciária Estadual no bairro Agronômica. Depois, o espaço foi utilizado pela Câmara Municipal. Atualmente, a construção está passando por um processo de restauração. Fica na Rua Anita Garibaldi, no Centro da cidade de Florianópolis

 

Figueira Centenária
Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

Conta-se que esta Figueira Centenária tenha nascido em 1871, dentro de um pequeno jardim circular, em frente à Igreja Matriz. Em 1891, ou seja, 20 anos depois, foi transplantada para a Praça XV de Novembro, onde se encontra até hoje. Isso sendo verdade, são 145 anos de vida. A árvore está associada a diversas superstições e simpatias. Seus grandes galhos se estendem por boa parte da Praça XV de Novembro e são sustentados por hastes de metal, evitando que desabem, proporcionando sombra àqueles de passagem pelo local. A Praça XV de Novembro fica no Centro da cidade de Florianópolis

 

Fortaleza de São José da Ponta Grossa
Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

A Fortaleza de São José da Ponta Grossa teve sua construção iniciada em 1740, com a função de defender a Barra Norte da Ilha de Santa Catarina. Ela juntou-se às já existentes Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim e Fortaleza de Santo Antônio de Ratones. As três controlavam as embarcações chegando ao litoral catarinense, a meio caminho entre o porto do Rio de Janeiro e a Colônia do Santíssimo Sacramento, no Rio da Prata. A Fortaleza de São José da Ponta Grossa localiza-se em posição privilegiada, com excelente visão da Baía Norte, estando numa ponta entre a Praia de Jurerê e a Praia do Pontal. Sua arquitetura é rica em elementos construtivos, distribuídos em três planos escalonados, abrigando três baterias de canhões armadas com 31 peças de artilharia. É a única fortaleza em que a capela permanece entre os demais prédios. A 200 metros a Leste da Fortaleza de São José da Ponta Grossa, foi construída, em 1765, a Bateria de São Caetano da Ponta Grossa, com seis canhões, visando guarnecer a Praia de Jurerê e Praia de Canasvieiras, então desprotegidas. A Bateria de São Caetano da Ponta Grossa e a Fortaleza de São José da Ponta Grossa formam um dos mais belos cenários paisagísticos da Ilha de Santa Catarina. Tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1938 e restaurada em 1992, passou a ter sua gestão sob a direção da Universidade Federal de Santa Catarina. A Fortaleza de São José da Ponta Grossa fica na Praia do Forte, no Distrito de Canasvieiras, ao Norte da Ilha de Santa Catarina, distante 25 quilômetros do Centro da cidade de Florianópolis

 

Mercado Público de Florianópolis
Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

O prédio que hoje abriga o Mercado Público de Florianópolis foi construído em frente à Alfândega, a partir do ano de 1898, em substituição ao antigo mercado, demolido em 1896 após 45 anos de funcionamento. A derrubada deixou um largo, embelezado por árvores até 1917. O novo Mercado foi erguido em duas etapas: a primeira, concluída em 1899, contava com apenas uma ala. Em 1915, foi acrescentada a segunda, bem como as torres, as pontes que as interligam e o vão central. São 140 boxes, vendendo alimentos, artesanato, pescados, roupas, utensílios e diversos outros artigos. No dia 19 de agosto de 2005, um incêndio na ala esquerda do Mercado Público destruiu toda a área interna daquele lado do complexo. Inteiramente reconstruída, seu funcionamento está normalizado. O Mercado Público, importante marco cultural e histórico da cidade, é o coração do Centro Histórico, palco de encontros  de artistas, boêmios e intelectuais em bares e restaurantes nos quais se degustam iguarias especiais em ambiente informal, alegre e pitoresco, com apresentações artísticas eventuais no pátio central. Está localizado na Rua Conselheiro Mafra, no Centro da cidade de Florianópolis

 

Museu de Armas Major Lara Ribas
Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

Museu de Armas Major Lara Ribas, instalado em 1930 no Forte de Sant’Ana do Estreito, edificação cuja construção foi iniciada em 1761. O coronel da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina, Antônio de Lara Ribas, que dá nome ao espaço, montou o acervo inicial, selecionando armas com valor história ou de coleção, apreendidas no Estado de Santa Catarina. Devidamente catalogadas e ordenadas, as peças estão em exibição permanente, expostas em circuito cronológico de evolução do mecanismo de disparo. Este acervo vem sendo aumentado gradativamente com o passr dos anos, e hoje é motivo de orgulho da Polícia Militar do Estado. Fica na Avenida Beira Mar Norte, no Centro da cidade de Florianópolis, próximo à cabeceira da Ponte Hercílio Luz

 

Museu da Escola Catarinense
Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

O Museu da Escola Catarinense, criado junto ao Centro de Ciências da Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina — Udesc, em novembro de 1992, e em funcionamento desde março de 1993, caracteriza-se como espaço de preservação da memória cultural e escolar do Estado e como centro de apoio à pesquisa científica. A edificação tem alto valor para a paisagem urbana, por se localizar no eixo visual da Rua Saldanha Marinho, via existente desde 1819, além de sua importância para a cidade de Florianópolis, pois está inserida no coração do seu Centro Histórico, rodeada por várias outras construções que datam da colonização. Erguida especialmente para abrigar a Escola Normal Catarinense , criada no final do século XIX, anos 1900, e inaugurada no inicio da décade de 1920, compõe projeto urbanístico modernizador concebido pelo Estado naqueles momentos, incluindo a Ponte Hercìlio Luz, primeira ligação da Ilha de Santa Catarina com o continente, e remodelação do antigo Palácio do Governo, hoje Museu Histórico de Santa Catarina, ou Museu Cruz e Souza, ou Palácio Rosado. Em 1963, passou a abrigar a Faculdade de Educação da Udesc. Em 1998, foi iniciada a tramitação institucional para se resguardar a destinação do prédio, com a instalação definitiva do Museu da Escola Catarinense. Fica na Rua Saldanha Marinho, no Centro da cidade de Florianópolis

 

Fortaleza de Santo Antônio de Ratones
Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

A Fortaleza de Santo Antônio de Ratones está situada na parte setentrional da Ilha Ratones Grande, localizada na face Nordeste da Ilha de Santa Catarina. Foi edificada com duas baterias de canhões, com a finalidade de guardar a entrada Norte da Ilha de Santa Catarina, num sistema triangular de cruzamento de fogos com a Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim e a Fortaleza de São José da Ponta Grossa. Seus canhões disparavam tiros nas embarcações entrando pelo canal.  A Fortaleza de Santo Antônio de Ratones tem, como edifícios, Casa do Comandante, Quartel da Tropa, Casa dos Oficiais, Paiol de Pólvora, Casa da Palamenta, Casa da Guarda, Cozinha da Tropa, Casa da Farinha e Fonte. No século XIX, anos 1800,  já tendo perdido sua função militar,  passaou a abrigar centros sanitários, servindo como local de isolamento e quarentena nos surtos de epidemias assolando a Vila de Desterro, atual cidade de Florianópolis. Em 1938, a Fortaleza de Santo Antônio de Ratones foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e, em 1991, suas várias edificações foram restauradas. A partir daí, a Universidade Federal de Santa Catarina passou a gerir a Fortaleza de Santo Antônio de Ratones, tornando-a um atrativo turístico dos mais belos e singulares. Esta localizada na Ilha Ratones Grande, na Baía Norte, próximo à Praia do Pontal, com acesso somente pelo mar

 

Museu Sacro da Capela Menino Jesus
Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

O Museu Sacro da Capela Menino Deus foi inaugurado em janeiro de 2002, quando se comemoravam os 237 anos da Irmandade do Senhor Jesus dos Passos. O acervo compreende esculturas; pinturas em tela incorporadas à capela desde sua fundação, na segunda metade do século XVIII, anos 1700; objetos que contam a história da capela, do hospital e da irmandade; e doações de famílias da região e outras anônimas. Além das obras de arte sacra, inclui porcelanas, pratarias, vasos em vidro, moedas dos séculos XIX, anos 1800, e XX, anos 1900, roupas de caráter litúrgico ainda não catalogadas, muitas delas adquiridas através de promessas pagas pelos fiéis em troca de graças atendidas. Está localizado na Rua Menino Deus, no Centro da cidade de Florianópolis

 

Museu Universitário Oswaldo Rodrigues Cabral
Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

O Museu Universitário Oswaldo Rodrigues Cabral é uma porta aberta à comunidade externa, convidando-a a vir até a Universidade Federal de Santa Catarina — UFSC para conhecer um pouco de seu próprio passado e refletir sobre sua identidade cultural tão diversificada. Além dos importantes acervos de Arqueologia Pré-Colonial e Histórica e de Etnologia Indígena, é guardião das coleões da Professora Elizabeth Pavan Cascaes e do artista Franklin Joaquim Cascaes, constituído de mais de 2.700 peças: desenhos, manuscritos e esculturas retratando cotidiano, religiosidade, lendas, mitos, folguedos folclóricos e tradições dos primeiros colonizadores da Ilha de Santa Catarina. Fica no Campus da UFSC, no bairro de Trindade

 

Museu Histórico de Santa Catarina — Palácio Cruz e Souza

 

Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

Palácio Cruz e Souza, atual sede do Museu Histórico de Santa Catarina, também conhecido como Palácio Rosado, exemplo da arquitetura do final do século XIX, anos 1800. Os traços atuais são de reforma realizada ainda no início da República. É tombado pelo Patrimônio Histórico Estadual. Um mausoléu nos jardins guarda os restos mortais do grande poeta catarinense João da Cruz e Sousa, principal nome do Simbolismo brasileiro. João da Cruz e Souza empresta seu nome ao prédio que abrigou a sede do Governo do Estado desde os tempos coloniais até 1984. O acervo é composto por móveis e objetos de época. Os espaços reproduzem a rotina de quem vivia ali, com sala de música, sala de jantar, quartos… Tem uma história repleta de conflitos, como a disputa a tiros pela posse do Palácio entre tropas federalistas e republicanas, em 1893. Em 1979, durante visita do presidente João Batista de Oliveira Figueiredo, um protesto de estudantes em frente ao Palácio acabou se transformando num grande confronto, episódio conhecido como Novembrada, na primeira grande manifestação pública popular contra a ditadura no País. Está localizado na Praça XV de Novembro, no Centro da cidade de Florianópolis

 

Praça Fernando Machado
Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

A Praça Fernando Machado, localizada em frente à Praça XV de Novembro, foi o local onde ficava o primeiro Mercado Público Municipal. Lá, também foi instalada a maquete da Ponte Hercílio Luz, ponto que serviu para a inauguração simbólica da obra. Era na Praça Fernando Machado que ficava o Miramar, famoso trapiche municipal e ponto de encontro da elite intelectual da cidade, desaparecido com o aterro da Baía Sul. Recentemente, a praça passou por uma reforma, incorporando pilares marcando onde ficava a marina. Além de painéis contando a história do Miramar, guarda a estátua do coronel Fernando Machado, herói morto em 1868 na Batalha de Itororó, durante a Guerra do Paraguai. Ela está situada próximo ao Terminal Cidade de Florianópolis

 

Museu do Homem do Sambaqui
Turismo acessível como experiência para todos aqueles que fazem turismo comum

Organizado a partir de 1964, pelo padre João Alfredo Rohr, o Museu do Homem de Sambaqui, tombado em âmbitos federal e estadual, possui um dos maiores acervos arqueológicos do Brasil, reunindo mais de 5 mil peças. Especializado em arqueologia pré-histórica, tem peças com aproximadamente 8 mil anos. Destacam-se esqueletos retirados das centenas de sítios arqueológicos descobertos pelo padre João Alfredo Rohr na Ilha de Santa Catarina e interior do Estado catarinense, além de urnas funerárias, artefatos líticos e fragmentos cerâmicos. A maioria das escavações foi realizada no Sul da Ilha de Santa Catarina: Base Aérea, Armação do Sul, Pântano do Sul e Praia da Tapera. Fez buscas também na Praia das Laranjeiras, no Município de Balneário Camboriú, e no Município de Itapiranga. São quase 200 esqueletos, em surpreendente estado de conservação, com idade estimada entre 1.055 e 1.552 anos. Na Ala de Zoologia, animais de várias espécies conservados por taxidermia. O acervo ainda apresenta arte sacra, moedas, cédulas, fósseis com até 225 milhões de anos, utensílios indígenas e outros materiais. Fica no Colégio Catarinense, na Rua Esteves Júnior, no Centro da cidade de Florianópolis

 

Um pouco sobre os operadores do projeto Turismo de Experiência: Santa Catarina em Todos os Sentidos

 

  • A Magia do Barro

Visita à Olaria Beira Mar, conhecendo a vida e formação do oleiro, técnicas de modelagem do barro e equipamentos necessários para o desenvolvimento da arte. Passeio pelo Centro Histórico da cidade de São José, com resgate da memória a partir da descrição dos casarões antigos ao redor da Praça Hercílio Luz. Apresentação das artesãs Meninas da Terra, acompanhada de café, sucos, bolos, biscoitos, patês…

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Meninas da Terra

DDD 48 — Fixo 3244-6225

facebook.com/meninasdaterra

 

  • Alimentação e Banho Interativo com Tartarugas

O visitante participa do ritual de alimentação e do banho das tartarugas vivendo na base doProjeto Tamar no Município de Florianópolis. Exemplares das cinco espécies que desovam no litoral do Brasil, vivem em tanques, após salvas da morte por sufocamento no processo de eclosão do ovos. Como todos os outros Centros de Visitantes do Tamar pelo País, trabalha conscientização e educação de comunidades, visitantes e pescadores.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Projeto Tamar Florianópolis

DDD 48 — Fixo 3236-2015

www.tamar.com.br

 

  • Ecorafting

Tudo começa com oficinas sobre fauna e flora da região da Serra do Tabuleiro. Depois, o ritual de confecção das bombas de argila misturada a sementes de espécies nativas da Mata Atlântica. A seguir, a emoção de descer as corredeiras do Rio Cubatão do Sul em barcos infláveis, passeio realizado com segurança impecável. Quase ao final do trajeto, parada estratégica, com todos bombardeando as margens desmatadas, usando estingues.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Apuana Rafting

DDD 48 — Fixo 3245-7602

www.apuamarafting.com.br

 

  • Entre Gingas e Histórias: a Capoeira, Patrimônio Cultural da Humanidade

Oportunidade para se vivenciar um pouco das ancestralidades africana e brasileira, através da imersão nas artes da capoeira, arte marcial genuinamente brasileira, hoje Patrimônio Cultural da Humanidade. Ao final, degustação de uma deliciosa feijoada, prato com o qual eram alimentados os escravos nas senzalas das fazendas do Brasil. Tudo isso, acontecendo numa edificação construída pelas mãos de cativos negros.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Associação Cultural Capoeira na Escola

DDD 48 — Móvel 9655-4991

www.capoeiranaescola.org.br

 

  • Experiência de Mergulho

Mergulho e aula sobre espécies marinhas e técnicas visuais em ambiente submerso. Escola e operadora de mergulho autônomo com qualidade e segurança certificadas pela Professional Association of Diving Instructor — PADI, maior organização do segmento em todo o mundo. Credenciada pela Handicapped Scuba Association — HSA Brasil, sendo capacitada no atendimento de pessoas com qualquer tipo de necessidade especial.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Água Viva Mergulho

DDD 48 — Fixo 3369-9003

www.aguavivamergulho.com.br

 

  • Faça Você sua Caipirinha

A caipirinha nasceu como remédio para o corpo e, atualmente, é elixir para os males da alma. Apesar de ser o drinque nacional mais conhecido no exterior, e de sermos os seus maiores consumidores, poucos brasileiros sabem como preparar esta delícia. A ideia e mudar esta realidade o mais rápido possível, da maneira mais fácil que existe, com um passo-a-passo impresso, utensílios e ingredientes levados à mesa do apreciador. Saúde!

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Restaurante Canto do Mar

DDD 48 — Fixo 3261-3006

www.restaurantecantodomar.com.br

 

  • Feira da Freguesia

A Feira da Freguesia acontece todo segundo domingo do mês, sendo montada ao redor da Praça Hercílio Luz, no Centro Histórico da cidade de São José. Dentre seus atrativos, podem ser listados apresentações de dança, comércio de antiguidades, encenação de ofertas de sebo, peças teatrais, shows musicais e variedade de artesanato, além de visitas guiadas tanto à Casa de Cultura Nésia Melo da Silveira quanto ao Museu Histórico.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Feira da Freguesia

DDD 48 — Fixo 3259-2368

Feira da Freguesia da cidade de São José

 

  • Jogos da Experiência

Sabe aquele velho prazer de um carteado bem jogado? Lembra da guerra com dados para tomar países e continentes, tornando-se dono do mundo no War? Que tal trazer de volta a alegria infantil de retirar varetas de cima das outras sem mexer nas que estão empilhadas abaixo? Tem de memória ainda os apelidos dos números da víspora? Este divertimento de brincadeiras e jogos, entre a família e grupo de amigos, está de volta.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Pousada Favareto

DDD 48 — Fixo 3369-2003

www.pousadafavareto.com.br

 

  • O Homem do Mar

Uma experiência inesquecível, a bordo de simples barcos de pescadores, participando da pesca de espécies da época, nadando em cantos secretos das muitas baías ao redor das inúmeras ilhas compondo o rico colar do Arquipélago da Ilha de Santa Catarina ou simplesmente contemplando o pôr do Sol por detrás das montanhas do continente. Um roteiro sempre surpresa, pois é definido praticamente no momento de se lançar ao mar.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Apino Turismo

DDD 48 — Fixo 3039-1404

www.apino.com.br

 

  • OstraXperience

Visita a uma fazenda de criação de ostras na orla do Ribeirão da Ilha. Um maricultor apresentará todo o processo de produção deste apreciado marisco, detalhando sobre os materiais necessários para o cultivo e as etapas de desenvolvimento do molusco. Após esta explanação, degustação da iguaria in natura e preparada ao bafo, harmonizada com espumantes. Possibilidade de conhecer o artesanato local e uma doceria bem tradicional.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Floripa Xperience

DDD 48 — Fixo 3333-4684

www.floripaxperience.com.br

 

  • Paladares da Décima Ilha

Roteiro no Centro Histórico de Florianópolis. Vivência no Mercado Público: box especializado em produtos orgânicos, loja de especiarias e banca de pescados. Visita à cozinha de restaurante, com oficina de preparo de prato típico da culinária açoriana. Degustação do alimento em piquenique na área de praça com vista para a Ponte Hercílio Luz, monumento tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional — Ipham.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Restaurante Conselheiro do Paladar

DDD 48 — Fixo 3225-6111

vwww.conselheirodopaladar.com.br

 

  • Ratones: Uma Experiência da Terra ao Prato

Um dia inteiro para recuperar ou aprimorar nossas capacidades de perceber elementos da natureza. Aromas da flora, sons dos animais, ruídos da água corrente… Estas coisas simples das quais nos afastamos devido à correria do dia a dia. Visita à horta orgânica, para a escolha de plantas alimentícias não convencionais — conhecidas como PANCs. Degustação de delícias surpreendentes: canapés, tira-gostos, salgadinhos e sobremesas.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Jardim do Rancho

DDD 48 — Móvel 9972-3225

www.jardimdorancho.com.br

 

  • Tour das Experiências

Passeio interativo por diversos pontos da Ilha de Santa Catarina — também conhecida comoIlha da Magia. A bordo de um open top bus, o turista conhece atrativos turísticos da cidade de Florianópolis. Enquanto o veículo circula por avenidas, estradas e ruas, as narrativas de apresentação dos pontos de visitação vão sendo entremeadas por histórias e curiosidades da cultura local, e também por apresentações da criativa música nativa.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

By Bus Turismo

DDD 48 — Fixo 3239-8966

www.floripabybus.com.br

 

  • Um Dia Inesquecível

Experiência de preservação ambiental na Reserva Extrativista Marinha de Pirajubaé, na área urbana do Município de Florianópolis. Visita a um Racho de Pesca e passeio pelo mar da área protegida, conhecendo bancos de areia, manguezal e Rio Tavares, além de ida até às proximidades da Ponte Hercílio Luz. Oficina de manuseio dos apetrechos de pesca e degustação de um menu de delícias criado com peixes e moluscos típicos.

 

Turismo de Experiência amplia atrações para o turista da Santa e bela Catarina

Exoexperiências

DDD 48 — Móvel 9138-0951

www.ecoexperiencias.com.br

 

Objetivos gerais do Turismo de Experiência

 

O projeto “Turismo de Experiência: Santa Catarina em todos os sentidos” foi criado e desenvolvido com o objetivo de incentivar e promover pequenos negócios da Região Metropolitana da Grande Florianópolis. No formato agora apresentado ao mercado, agrupa 16 operadores orientados e preparados para oferecer momentos memoráveis àqueles em busca de roteiros realmente diferenciados, capazes de fugir ao lugar comum.

O que se buscou foi a formatação de produtos capazes de atender os objetivos maiores do Turismo de Experiência, resumidos em estimular o envolvimento com comunidades locais, permitir o aprendizado de novas atividades e explorar limites dos sentidos, como conhecimento de gastronomia, integração a manifestações religiosas, participação em aventuras, brincar com folclore, envolver-se com esportes, produção de artesanato etc.

Como a modalidade do Turismo de Experiência ganha novos adeptos ano após ano, atraindo público diferenciado, mais exigente, cria-se uma miríade de oportunidades de novos negócios, capazes de serem aproveitados por empreendedores individuais, micro e pequenas empresas. Basta que estes desenvolvam produtos inovadores, baseados nas próprias histórias de vida, costumes dos habitantes, tradições locais, cultura popular…

 

Objetivos específicos do Turismo de Experiência

 

O projeto “Turismo de Experiência: Santa Catarina em todos os sentidos” foi pensado, planejado, criado, pesquisado e desenvolvido a partir de uma inovadora parceria entre aFundação Municipal de Cultura e Turismo do Município de São José e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina — Sebrae-SC. Esta união teve o objetivo de buscar uma solução capaz de atender os seguintes objetivos específicos:

 

  • Ampliar a participação das famílias e comunidades em atividades geradores de renda
  • Divulgar costumes, cultura, folclore, gastronomia e manifestações religiosas locais
  • Engajar as famílias e comunidades em atividades criadoras de postos de trabalho
  • Incentivar o surgimento de pequenos negócios através do Turismo de Experiência
  • Desenvolver o turismo no seu todo na Região Metropolitana da Grande Florianópolis
  • Promover as sustentabilidades ambiental e econômica do Turismo de Experiência

 


 

 

Matéria produzida a partir da participação no Press Trip Turismo de Experiência promovido pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina — Sebrae-SC, dias 2 e 3 de dezembro de 2015, na Região Metropolitana da Grande Florianópolis.